Zopone aprova empreendimento de porte na área onde era Luso na zona Sul

0
1031

Negócio imobiliário será realizado em etapas por período de 10 anos

Construções residenciais de padrão vão dar ocupação à área nobre em tamanho superior a dois quarteirões

Vista da área de mais de dois quarteirões de tamanho, pela Rua Luso Brasileira

A área onde funcionou a sede social da Luso Brasileira no Centro terá uma via adicional “cortando” os dois lados

NEGÓCIOS — A Zona Sul de Bauru tem novo empreendimento de porte pronto para ser anunciado. O Grupo Zopone aprovou instalação residencial em torres na enorme área onde funcionou a sede social da Associação Luso Brasileira, próximo da Avenida Getúlio Vargas e do Supermercado Confiança.

O projeto já tramitou pelas áreas técnicas essenciais na Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan). Ele em sua maior parte envolve construções residenciais — de padrão — combinado com inserções para uso comercial em alguns pontos.

A área onde funcionou a Luso, adquirida pelo Grupo Zopone há anos, tem mais de dois quarteirões. O equivalente a mais de 18 mil metros quadrados. Talvez a única desse tamanho cravada em plena Zona Sul de Bauru.

O projeto será lançado para instalação por etapas, em um período de 10 anos. A mitigação do trânsito na região envolveu a concessão de abertura de um rua adicional no “meio” da área. A solução viria como alternativa para dar fluidez ao trânsito pela rua Gustavo Maciel. A medida integrará as torres do empreendimento com entradas e saídas dos futuros moradores.

A área de influência já é consolidada para uso misto, de negócios e comércio. Do lado, edifícios comerciais agregam esse tipo de ocupação. O entorno favorecerá interessados em morar em apartamentos mais compactos, mas de padrão, com valor agregado em relação aos espaços.

O conceito loft pode aparecer como sugestão de mercado. Apartamentos com estrutura de suíte, mas para 1 ou dois dormitórios estão na configuração.

Os detalhes do projeto serão conhecidos em breve. Mas o fato é que a Zona Sul terá, nas próximas semanas, o anúncio de empreendimento na grande área da antiga Luso. Além de girar a roda da economia, o projeto voltará a dar função social ao local.

Nas imediações existem inúmeros prédios, comerciais e residenciais. Um deles, pela rua Antonio Alves, de padrão mais simples, com área construída de 60 metros quadrados, dois dormitórios, sendo 1 suíte, de apenas seis andares, está sendo vendido neste outubro de 2019 a R$ 260 mil. O condomínio no local é R$ 560,00 por mês.

O padrão do projeto da Zopone é superior. Leia aqui, em breve, detalhes do projeto.

Vista de cima da área do Grupo Zopone, onde foi a antiga sede social da Associação Luso Brasileira

PARQUE NA GETÚLIO

Na mesma Zona Sul, a Prefeitura terá a destinação de parque em 102 mil metros quadrados recebidos — em definitivo -em acordo com o Aeroclube (veja matéria deste assunto aqui na plataforma).

O acordo destina 102 mil metros quadrados na valiosíssima margem pela Getúlio Vargas. O documento final, já em revisão, traz que a Prefeitura poderá lançar concessão (com pagamento de outorga) para a área, com exploração comercial.

O investidor terá de garantir parque na região, com pista de caminhada, ciclovia e integração com o local onde já existem quadras esportivas.

A área tem cotação de mercado de pelo menos R$ 250 milhões. O acordo está aprovado pela Associação do Aeroclube — que vai garantir sede própria e hangar — , gera o tombamento da pista e o uso de áreas pela Prefeitura (que passa a ser proprietária de direito dos lotes nobres).

Esta é a vista da gleba do Aeroclube urbano. A faixa pela avenida Getúlio Vargas está sendo recebida como propriedade da Prefeitura. A exploração para parque e concessão envolve total de 102 mil metros quadrados

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here