Em visita a Bauru, Márcio França libera R$ 30 milhões a várias cidades

0
1708
Visita do Governador Márcio França

O governador Márcio França (PSB) esteve ontem em Bauru para inauguração do Centro Dia do Idoso (CDI), a entrega de certificação de Municípios de Interesse Turístico e assinatura de convênios com cidades da região, além de inaugurar o Terminal Rodoviário em Lençóis Paulista (leia mais abaixo e na pág. 13). Ao todo, França liberou R$ 30 milhões para obras, manutenção da saúde pública e infraestrutura. Somente para Bauru, foram repassados R$ 4 milhões, destinados ao recape de ruas e avenidas.

Na ocasião, o pré-candidato ao governo do Estado pelo PSB visitou o espaço Café com Política, do Jornal da Cidade, que recebeu também o deputado estadual Valdomiro Lopes (PSB); o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD) e o ex-prefeito de Bauru e pré-candidato a deputado federal Rodrigo Agostinho (PSB); o prefeito de Boraceia, Marcos Bilancieri (PSDB); além de vereadores e lideranças ligadas à política local e regional.

França comentou o cenário que se instala para as eleições de outubro. Ele acredita que a disputa à Presidência da República e a ida ao segundo turno terá disputas de Bolsonaro (PSL) com Geraldo Alckmin (PSDB) e com Fernando Haddad (PT) com Ciro Gomes (PDT). “Geraldo e Bolsonaro. Ou vai um ou vai o outro. O PT acredito que vai com Haddad, e disputará com Ciro Gomes.”

‘VOTO NO ALCKMIN’

Douglas Reis
Governador Márcio França fala, no Teatro Municipal de Bauru, ladeado por prefeitos e lideranças de várias cidades da região

França destaca vantagens de Alckmin no Estado de São Paulo, mas pondera que o ex-governador encontrará dificuldades em outras regiões do Brasil. “Não se pode comparar São Paulo com o resto do Brasil. Em uma pesquisa do Piauí, por exemplo, Lula aparece com 68% dos votos, Bolsonaro em segundo com 20%, depois vem Ciro Gomes com 8% e Alckmin apenas com 0,3%”, enumera.

Em entrevista coletiva após a cerimônia, já no Teatro Municipal de Bauru, o governador anunciou voto a Alckmin na corrida presidencial e disse que não se sente traído pelo PSDB com a candidatura de João Dória pelo governo de São Paulo.

“Voto no Alckmin. Sou muito leal à pessoa que me deixou o cargo de governador. Ele é uma pessoa decente, digna, um homem honrado. Eu não voto nas pessoas porque estão na frente ou atrás nas pesquisas”, declarou. “Também não me sinto traído pelo PSDB. O partido tem o direito de ter um candidato. Me sinto frustrado porque eu votei no prefeito de São Paulo (Dória) para ele ficar quatro anos e ele ficou apenas um ano”, critica.

GUERRA FISCAL

Márcio França criticou a disputa entre cidades e estados para ver quem oferece melhores incentivos para que as empresas se instalem em seus territórios, a chamada “guerra fiscal”. “O sistema brasileiro de tributo é uma confusão, impossível ter uma lógica. Por isso, estados como Rio e Minas quebraram. Eles criaram uma guerra fiscal estúpida”, comenta.

O governador também falou da forte economia do Estado de São Paulo e prega que o modelo seja exportado para o restante do País. “O problema é que a gente achou que poderia ter um ‘País’ (São Paulo) separado do resto do Brasil. São Paulo é muito importante, mas o Brasil é mais importante. Não vamos dar jeito em São Paulo se não dermos jeito no Brasil. Precisamos exportar o modelo de governança nosso (paulista)”.

EMPREGO E RENDA

O País começa a dar os primeiros sinais de arrefecimento diante da crise financeira. Questionado sobre a expectativa do governo de impulsionar o emprego e renda no Interior, França diz que é preciso “voltar a ter otimismo”. “Começamos o ano bem, crescendo 0,7% ao mês em São Paulo. Aí veio a crise dos caminhoneiros e todo mundo perdeu um pouco o rumo. Difícil, com esse episódio dos caminhoneiros e Copa do Mundo, voltar a ter crescimento rápido. Mas São Paulo é muito equilibrado e tem capacidade de fazer investimentos. A gente tem procurado repassar recursos para as prefeituras, como hoje”.

ALISTAMENTO CIVIL

O governador Márcio França prepara o lançamento do programa “Alistamento Civil” para jovens de 18 anos, que receberão uniforme e treinamento para trabalhar nas ruas por um período de um ano. A ideia, explica França, é oferecer aos que foram dispensados do Exército, Marinha ou Aeronáutica, a opção de prestar serviços gerais, que vão desde dar informações turísticas a prestar primeiros socorros. O alvo é a juventude em situação de vulnerabilidade social.

“Esse ano, selecionei as 15 cidades mais violentas para implementar esse programa e, na região, o município escolhido foi Ibitinga. Começa em agosto, com 5 mil meninos. Se tudo correr bem, no ano que vem a gente faz com 80 mil. Assim, você começa a parar de produzir e enxugar gelo”, cita, justificando crítica feita pela reportagem de que os governos estariam “enxugando gelo” em relação ao combate à violência.

França detalha que este é um projeto que foi colocado em prática quando ele era prefeito de São Vicente, uma das cidades mais violentas do Estado à época. “Identifiquei sete presídios e que 56% dos detentos foram presos com 18 anos. Por isso, tivemos a ideia de oferecer esse respaldo aos jovens dessa idade. Em São Vicente, morria de 15 a 20 meninos de 18 anos por ano. Em 14 anos após a implementação da iniciativa, não morreu mais nenhum”, compara.

RECURSOS

Além de inaugurar o Centro Dia do Idoso (CDI) de Bauru – que tem capacidade para atender 50 idosos, a partir de 60 anos de idade, que necessitem do auxílio de pessoas ou de equipamentos especiais para a realização de atividades da vida diária; sem comprometimento cognitivo ou com alteração cognitiva controlada com algum grau de dependência -, o governador também entregou a certificação de Municípios de Interesse Turístico a Mineiros do Tietê e Piratininga, assinou convênios com Barra Bonita, Igaraçu do Tietê, Lins e Getulina, e descerrou placas de escolas de Mineiros do Tietê e Iacanga.

Descerrou, ainda, a placa do CDI de Lins, entregou o selo “Cidade Amiga do Idoso” para Piratininga e assinou convênios Fehidro a Bariri, Itaju, Cafelândia, Guaimbê e Getulina.

Ao todo, foram firmados convênios com 39 municípios, com destinação de R$ 28 milhões para infraestrutura, além de R$ 2 milhões para custeio na saúde, para 40 municípios, através da Associação dos Municípios do Centro do Estado de São Paulo (Amcesp). “Será aplicado em custeios de exames. Cada município vai ver o que tem prioridade. Também poderá ser utilizado para fazer cirurgias eletivas”, ressalta o prefeito de Boraceia e presidente da Amcesp, Marcos Vinício Bilancieri.

NO CAFÉ COM POLÍTICA

Antes de iniciar sua agenda em Bauru e Lençóis, o governador Márcio França esteve no espaço Café com Política, do JC, onde foi recebido pelo diretor do Grupo Cidade e presidente da Associação Paulista de Jornais (APJ), Renato Zaiden, e pelo diretor de redação João Jabbour. Descontraído, o governador fez uma leitura do quadro político e sucessório estadual e nacional aos presentes e contou como resolveu abrir negociações com os caminhoneiros em greve, entre outros assuntos.

Fonte: https://www.jcnet.com.br/Geral/2018/06/em-visita-a-bauru-marcio-franca-libera-30-milhoes-a-varias-cidades.html

Deixe uma resposta