0
1344
410618

Por: Frederico Bruscki

Outubro Rosa

A importância de prevenir e diagnosticar precocemente o câncer de mama em animais de                                                           estimação.

Médico veterinário, CRMV-SP 22270, idealizador e fundador do Pet Center Clínica Veterinária.
Site www.petcenterbauru.com.br

O câncer de mama, doença alvo da campanha outubro rosa, não é exclusividade dos humanos, mas também atinge os pets. Na rotina clínica, por exemplo, os tumores de mama correspondem a 53% de todos os casos de câncer em cadelas e 17% em gatas. Esse índice reforça a grande necessidade de conscientizar os donos sobre a importância dos exames periódicos e no diagnóstico precoce da doença, podendo até mesmo iniciar com o “autoexame” no animal em casa, por meio da palpação das mamas da fêmea à procura de pequenos nódulos firmes do  tamanho de uma ervilha. Uma vez que esse nódulo confirmado é orientado procurar o médico veterinário de confiança para análise e possível retirada com cirurgia. O animal realiza exames pré-anestésicos que incluem exame de sangue, exame do coração, raio x do tórax e ultrassom abdominal. Em 50% dos casos encontramos tumores malignos, dai a necessidade de detectá-los precocemente. Quando retirados logo no início, as chances de cura se tornam altíssimas e muitas vezes nem é preciso submeter a sessões de quimioterapia.
A prevenção ao câncer de mama animal é simples e eficaz: a castração da fêmea antes do primeiro cio resulta numa queda expressiva no risco de um câncer de mama, pois reduz a produção de hormônios (progesterona e estrogênio), reduzindo a possibilidade do crescimento de células anormais. O risco do câncer nas fêmeas aumenta a cada cio sem a castração, uma fêmea não castrada tem 26% de probabilidade de desenvolver um tumor maligno na mama.
Além das castração precoce é importante e necessário que visitas periódicas ao médico veterinário façam parte da rotina. É importante lembrar que embora muito menos comum os machos podem, também, desenvolver tumores testiculares e prostáticos que também podem ser evitados com castração.

Deixe uma resposta