“Sou movido a desafios”

0
133

Rodrigo Mandaliti comanda, ao lado dos irmãos, o grupo de empresas da família, patrocina o Sesi Vôlei Bauru, participa de projetos sociais e quer ser eleito deputado estadual pelo MDB

A trajetória da família Mandaliti é tão rica, e não apenas na área jurídica, que foi preciso publicar um livro – O Futuro Já Tem História – para resgatar tantos acontecimentos e compartilhá-los com o mundo. É que o empreendedorismo corre nas veias dos irmãos Rodrigo, Renato e Reinaldo, que transformaram, ao lado da mãe, Maria de Lourdes, numa potência o legado que o patriarca Valdomir Mandaliti deixou ao partir em 2006. “Hoje temos quase 3 mil funcionários no grupo. 2 mil só em Bauru. E cerca de 10 mil advogados cadastrados na nossa base de relacionamento. Nosso grupo é muito amplo”, afirma Rodrigo,de 42 anos.

Meu DNA é Sesi

Com um horizonte profissional tão promissor, por que Rodrigo quis se candidatar a deputado estadual nas próximas eleições? “Ficar tacando pedra, sentado na mesa e não colocar a mão na massa para tentar resolver, é fácil. Eu tenho uma amizade muito grande com o Paulo Skaf. Estudei no Sesi por oito anos. Minha mãe lecionou no Sesi por 35 anos. Renato estudou no Sesi. Reinaldo estudou no Sesi. Meu DNA é Sesi. Temos uma história com o Sesi. Quando a gente começou o projeto com o vôlei, tivemos dificuldades e aí começamos um namoro com o Sesi”, relembra. “Hoje temos uma estrutura de conselho, com sócios e conselheiros independentes. Cada sócio é responsável por uma empresa. Renato é responsável pela Finch. Reinaldo é responsável por toda a gestão jurídica dos escritórios de advocacia. Sou responsável pela empresa de recuperação de créditos Concilig. A gente reporta tudo ao conselho.

Filho do meio, comunicativo, apaixonado pela família – esposa Karen e os filhos Murilo e Miguel, gêmeos de sete anos, e o pequeno Rafael, de nove meses – e com muita vontade de empreender. Assim é o gestor de empresas Rodrigo Mandaliti, que recebeu a Revista Atenção no seu escritório numa sexta-feira de Copa do Mundo, quando Brasil enfrentaria a Bélgica. Num bate-papo regado a água, café e muitos documentos para assinar, ele relembrou um pouco da história da família e contou seus planos para o futuro, que inclui, claro, o Grupo Mandaliti (JBM, Escritórios de Advocacia, Concilig e Finch Soluções). “Com o nosso viés empreendedor, de sempre estar pensando lá na frente, conseguimos expandir os nossos negócios”, garante.

Temos um quadro de conselho, diretor, superintendente, gerente, coordenadores e supervisores”, explicou. “Estamos numa fase de crescimento, a gente não para de crescer. Compra de empresas, sócios novos, investidores…”, conta empolgado. “Quando conheci o Paulo Skaf, tive certeza que governador é pouco para ele. Um cara empreendedor, honesto, correto. Olha o que ele faz pela educação! Basta você ver o Sesi e o Senai. O cara que foi eleito para presidir uma das maiores entidades do mundo – Fiesp- por unanimidade.
Nessa parceria com o Sesi, o Skaf me disse: ‘por que você não me ajuda na política? Até então eu não tinha essa pretensão”, relata. “Skaf sugeriu que eu fosse candidato a deputado federal. Eu disse: ‘deputado federal não vou. Primeiro, pela distância, tenho três filhos pequenos. Não tem jeito, mas posso ver a possibilidade pelo que você fez pela minha família, por Bauru e pela região, vou estudar a de ser candidato a deputado estadual’. Tenho meus impedimentos profissionais. Estou passando barreira a barreira. Cada dia mato
um leão para chegar lá. Tenho até o fim do mês para confirmar minha candidatura. Hoje, graças a Deus, tenho a ajuda dos meus irmãos, que podem tocar tudo sem mim. Conversei com minha mulher, que entendeu, já que é minha vontade”, contou.
Mas como disputar eleições diante de tanta desconfiança dos eleitores?
“Tem que mudar radicalmente a política, não dá para continuar do jeito que está. Política virou profissão. Sinceramente? Quero ser candidato a deputado estadual uma vez, se Deus me permitir. Se Deus permitir a reeleição, ok. E acabou. Depois, vou procurar novos espaços. Não tive medo de empreender. Tenho vontade de mudar. Acredito numa revolução, ainda existem pessoas boas que querem fazer deste Estado uma revolução. E essa pessoa é o Paulo Skaf. Não dá mais para continuar como estamos. Quero defender o mandato de cinco anos e acabou. Por que estou na política? Porque tem um monte de desafio! E sou movido por desafios”, declara. Rodrigo era filiado ao DEM e agora está no MDB. “O meu negócio é com o Paulo Skaf, de abril pra frente. Entrei no MDB pelo Paulo Skaf. Por acreditar num futuro melhor”, garante.

Vôlei e projetos sociais

“Em Pederneiras, empregamos quase 300 menores. Damos a oportunidade do primeiro emprego. É um trabalho social de muito orgulho!”, se emociona o pré-candidato a deputado estadual. Outro projeto que o deixa empolgado é o Corrente da Vida, que cuida de 700 crianças no contraturno das escolas municipais de Bauru. “Damos a prática de vôlei, basquete, entre outras modalidades esportivas. Estamos estendendo uma parceria desse projeto junto à ABDA (Associação Bauruense de Desportes Aquáticos). Até 18 anos, eles têm uma estrutura fantástica. Depois, nem todos viram atletas profissionais e precisam ir para o mercado de trabalho. Vamos montar lá uma sala de tecnologia com professores para dar aula de tecnologia e prepará-los para o mercado de trabalho. Os melhores a gente já contrata para a Finch também”, disse.
Recentemente, acompanhado de representantes do Sesi, Rodrigo entregou ao prefeito Clodoaldo Gazzetta o projeto de construção do ginásio multiuso do Sesi, orçado em R$ 15 milhões. “Estamos passando por uma revolução no esporte de Bauru. E esse ginásio é a consagração desse bom momento”, avalia. A Concilig é a patrocinadora do time Sesi Vôlei Bauru, reforçando uma paixão que vem de berço. “Temos uma ligação forte com esporte. Costumo dizer o seguinte: a gente nasce sem nada e vai embora sem nada. Só que no meio, alguns procuram confusão, outro procuram ser felizes. Eu procuro ser feliz. Sendo feliz, eu consigo fazer meus negócios prosperarem. O importante é ser feliz”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here