Sessão de fotos ajuda conscientizar sobre a inclusão social de autistas

0
865
Em comemoração ao dia mundial do autismo grupo Anjos Azuis realiza sessão de fotos no Parque Vitória Régia

O verde do gramado do Parque Vitória Régia foi tomado pelo azul, na manhã de ontem. Mães e pais do grupo Anjos Azuis se reuniram no principal cartão-postal de Bauru para uma missão especial: levar os filhos autistas para participar de uma sessão de fotos.

O encontro teve o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da inclusão social das crianças com autismo, distúrbio neurológico também conhecido como Transtorno do Espectro Autista, que prejudica a capacidade de comunicação e interação do indivíduo. O azul é a cor símbolo do autismo porque há maior incidência de casos no sexo masculino.

Cerca de 20 crianças participaram da sessão, que foi conduzida pela fotógrafa Caroline Purini e encerrada com “chuva” de pó azul e piquenique no parque. Mãe de Bruno, 11 anos, e Enzo, 9 anos, ambos autistas, a bancária Marina Novelli Lorenzetti Gil, 44 anos, explica que o encontro celebrou o Dia Mundial da Conscientização do Autismo, cuja data é oficialmente comemorada em 2 de abril.

“Nossa intenção é mostrar que diferenças existem, mas que pessoas não são melhores ou piores do que as outras por isso. Além disso, foi uma oportunidade de maior interação entre as famílias, de trocar experiências, que são muito diferentes com cada uma das crianças”, explica.

O Anjos Azuis surgiu da necessidade de apoio mútuo entre os pais de autistas e, hoje, o grupo criado no WhatsApp já conta com quase 120 membros. Entre as realidades vividas, a necessidade de garantir rotina para não causar sofrimento aos filhos é um dos aspectos comuns.

A professora Cristiane Arruda, 42 anos, também relata as dificuldades enfrentadas em razão da discriminação e falta de conhecimento, inclusive no ambiente escolar, já que seu filho, Davi José, 3 anos, está matriculado no ensino regular. “Por ele estar em uma escola particular, creio que seja até mais tranquilo, até porque ele é acompanhado pela terapeuta ocupacional dele, que orienta a professora, quando necessário”, cita.

Mas, em meio aos obstáculos, quem convive com autistas tem doses diárias garantidas de muito amor. É o que assegura a mãe de João Henrique, 9 anos, a atendente Fernanda Pinheiro, 41 anos. Apesar da dificuldade de interação com pessoas alheias ao núcleo familiar, as crianças com autismo, ela explica, tendem a ser extremamente afetuosas com pais e irmãos.

“Para o João, por exemplo, tudo se resolve com amor e isso tem sido um grande ensinamento para nós, porque o ser humano, nos dias de hoje, não vive desta forma. Meu filho acredita que todas as pessoas têm o poder de serem boas e a gente aprende com ele todos os dias”, conta.

Fonte: https://www.jcnet.com.br/Geral/2018/03/sessao-de-fotos-ajuda-conscientizar-sobre-a-inclusao-social-de-autistas.html

Deixe uma resposta