Quando a gente sai de cena, Deus entra

0
2008
Padre Ricci é pároco da Paróquia de São Cristóvão e diretor da Faculdade João Paulo II

Com o acelerado progresso científico e tecnológico o ser humano tem a sensação de que tudo pode prever e controlar. Saber para poder prever é absolutamente imperioso. Como diz o velho ditado: “melhor prevenir do que remediar”. Quantas doenças e males podem ser evitados com informação que se transforma em prevenção! Trata-se de uma conquista do mundo moderno. Porém, nem tudo pode ser previsto! O controle é limitado. Onipotência, onisciência e onipresença são atributos exclusivos de Deus. Não dá para ser como Deus, mas sim viver com Deus, tendo-O como companheiro de caminhada na travessia e instabilidades da vida.
Difícil para nós, que temos o privilégio de viver nesse momento histórico de grande progresso e descobertas, reconhecer que não temos o controle de tudo e que muitas coisas fogem do nosso domínio. Nesse ponto emergem as virtudes da humildade e da confiança:  Sobre esse tema escreve Santo Inácio de Loyola: “Aja como se tudo dependesse de você, sabendo bem que, na realidade, tudo depende de Deus”, ou na mesma linha, “Reze como se tudo dependesse de Deus e trabalhe como se tudo dependesse de você”. Assim nós podemos integrar esforça humano e Graça de Deus. Eis o ponto de equilíbrio e sabedoria: confiar em Deus não dispensa o nosso empenho e confiar em nosso empenho não dispensa a confiança total em Deus. Por isso, tudo deve ser feito a quatro mãos: as de Deus e as nossas.
A tendência de querer controlar tudo pode nos escravizar e roubar a alegria do viver, geralmente marcada pela surpresa e imprevisibilidade. Por que pensar sempre em algum ruim que pode acontecer quando perdemos o controle? Quando “pegamos leve” com a vida, abrimos espaço para a surpresa que pode ser também positiva, aliás, na maioria das vezes o é. Por isso criei essa frase que me acompanha faz tempo, porém também difícil de ser vivenciada por mim: quando saímos de cena, Deus entra. Quantas vezes insistimos em algo e quando relaxamos e deixamos tudo nas Mãos de Deus tudo de resolve! Certamente todos nós já experimentamos essa realidade, porém insistimos em ter o controle de tudo e achar que tudo depende de nós. Não se trata de falta de fé em Deus. Trata-se de algo difuso pelo próprio contexto no qual estamos inseridos. Portanto, busquemos a sabedoria para saber lidar com as surpresas boas e negativas que fazem parte da vida. Saia de cena e deixe que Deus entre! A arte do viver ficará mais completa. Nossa vida está segura nas Mãos de Deus, como bem expressa o Livro da Sabedoria: “Senhor, em tudo engrandeceste e glorificaste o teu povo; sem deixar de assisti-lo, em todo o tempo e lugar o socorreste!” (Sb 19,22) Olhar para trás e recordar (anamnese) a ação de Deus em nossa vida e na história, como fez o autor do texto sagrado, pode ser um bom exercício para aumentar a nossa confiança, se cobrar menos, se desarmar e permitir que as surpresas, positivas ou não, sejam vivenciadas de modo intenso e sereno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here