Psicoterapia online: nova ferramenta de ajuda para o sofrimento mental – Psicóloga Maristela Couto Carvalho

0
95

A internet surgiu modificando a forma de comunicação entre as pessoas, alterando paradigmas e criando cenários antes nunca imaginados. Hoje podemos dizer que a grande maioria das atividades pode ser feita de forma online como compras de todos os tipos, pagamentos de contas, confecção de documentos, etc; o ensino, até então presencial, começou a ser à distância. Enfim, podemos ficar isolados em nossas casas com o poder de TER ao alcance dos dedos. Segundo dados do IBGE (2016)  93% da população brasileira possui celular e 69 % das casas existe internet, sendo portanto, bastante expressivo o acesso aos meios de comunicação online.

A pandemia causada pela COVID – 19 nos trouxe a necessidade de mudanças e adaptações para manter a saúde mental em dia já que a situação de se manter fechado em um espaço por um grande período de tempo traz sérios prejuízos psicossociais. Mesmo que cada um encare a situação de formas diferentes, com esse processo de isolamento, o medo da perda de pessoas queridas, do futuro, da estabilidade financeira podem potencializar reações como stress, ansiedade, depressão, instabilidade emocional de leve à grave.

Nem tão nova assim, a psicoterapia online é aquela realizada através de meios digitais. Antes da pandemia já era possível realizar atendimentos psicológicos desta forma, o que houve foi uma maior procura pelo serviço devido às necessidades crescentes de ajuda perante o novo desafio. O Conselho Federal de Psicologia (CFP) já havia anteriormente regulamentado o uso do atendimento psicológico por meio online de forma bem reduzida, com limite de sessões, específica para algumas situações e por intermédio de um site específico para este tipo de atendimento; mas foi em 2020 que se flexibilizou o uso podendo ser feito também através de variadas plataformas de atendimento virtual.

Portanto, a facilidade que a internet trouxe para o acesso aos serviços de saúde mental ampliou a possibilidade da relação terapêutica, de acolhimento e ajuda. Antes, só havia o espaço restrito do consultório, agora essa flexibilidade permite abranger mais a necessidade das pessoas que muitas vezes residem em lugares de difícil locomoção ou longe dos grandes centros, ou mesmo por comodidade.

A psicoterapia online nos trouxe um novo “espaço” terapêutico, que se reside fundamentalmente na relação entre terapeuta e paciente, mas com espaços físicos diferenciados. Para alguns, a psicoterapia online seria menos “intensa”, sem todos os detalhes que o encontro presencial possui. Para outros não, pois a psicoterapia online permite que estejamos mais presentes no universo da outra pessoa – sua casa – e ela se sentiria mais confortável em falar sobre seus problemas, principalmente para os mais introvertidos, neste caso a distância física favoreceria a desinibição. Para muitos, tanto a psicoterapia online quanto a presencial são modalidades que podem caminhar lado a lado, ser complementares. A relação terapêutica como oportunidade de aprendizado, a forma como o terapeuta conduz o processo, enquadrando-o com objetivos e metas claros, em uma relação de empatia e respeito, são fatores que, independente do meio, produzem uma melhora na condição do paciente.

Entretanto, o cuidado com a confidencialidade aumenta com o uso dos veículos de internet. Tanto o terapeuta quanto o paciente devem estar comprometidos com o sigilo na troca de informações, só fazendo uso de tecnologias seguras, além de espaço reservado e privativo para este fim.

Portanto, como toda mudança inclui ganhos e perdas, neste momento, aprender com o novo e não se opor a ele é uma preciosa forma de se envolver com o processo criador, que possui, por sua vez, um grande potencial de cura e de desenvolvimento humano.

Deixe uma resposta