Os 4 museus de Bauru não têm auto de vistoria dos bombeiros

0
170
Casa Ponce Paz. Feira Grátis da Gratidão. Pessoas levam e fazem troca de materias como livro ,roupas , sapatos e etc. Quinteto Imaginário

O incêndio que destruiu o Museu Nacional no Rio de Janeiro (leia mais na página 13) trouxe novamente à tona a discussão sobre a preservação dos prédios históricos. Em Bauru, por exemplo, nenhum dos quatro museus possui o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), documento obrigatório a estabelecimentos públicos ou privados, que comprova se o imóvel oferece segurança em casos de incêndios. O cenário, inclusive, se estende a cerca de 200 prédios da prefeitura, que estão na mesma situação.

Desde o ano passado, o poder público mantém um grupo de trabalho multidisciplinar com objetivo de adequar os imóveis conforme as exigências legais previstas para se obter o AVCB. Entretanto, não há, ainda, um prazo para conclusão dos projetos e nem estimativa de valor do recurso total para as adequações.

Para a obtenção do documento, é preciso confeccionar um projeto técnico que atenda a diversos requisitos, como instalação de escadas e patamares com corrimão e guarda-corpos, saídas sinalizadas, acessibilidade, entre outros. Bauru conta com quatro museus históricos: Museu Ferroviário Regional, Museu da Imagem e do Som de Bauru (Misb), Casa Ponce Paz (que abriga a Pinacoteca Municipal) e o Museu Histórico Municipal de Bauru.

Este último está fechado desde junho deste ano por conta da digitalização do seu acervo (leia mais abaixo). Nenhum dos prédios, porém, possui o AVCB, segundo confirma o próprio secretário municipal de Cultura, Luiz Fonseca. “Para fazer as adequações, precisa de recurso financeiro e a falta dele, ao longo dos anos, acabou inviabilizando qualquer intervenção”.

“Quero entender por que está nessa situação. Solicitei levantamento para ver se houve algum pedido em relação a isso, quando foi feito, para quem foi feito. Enfim, o que precisa fazer para se adequar a essas exigências. O Museu Ferroviário, por exemplo, tem brigada de incêndio, extintores. Existe a preocupação com o acervo e, principalmente, com os visitantes”, destaca.

‘A DEMANDA É GRANDE’

Samantha Ciuffa
Museu da Imagem e do Som funciona no mesmo endereço do Museu Histórico Municipal, que está fechado desde junho deste ano por conta do processo de digitalização do acervo

Secretário de Administração, David José Françoso confirma que cerca de 200 prédios da prefeitura não possuem o atestado de vistoria do Corpo de Bombeiros. Ele reitera que é necessário se adequar a uma série de equipamentos de segurança para obter o documento. Entretanto, ressalta que, desde o ano passado, a prefeitura montou um grupo de trabalho nesse sentido, envolvendo três pastas: Administração, Obras e Seplan.

“Inclusive, os bombeiros têm sido nossos parceiros nesse processo, que é bem complexo. A prefeitura está trabalhando com recursos que têm. A demanda é grande. Precisamos identificar as adequações físicas a serem feitas e é necessário projeto executivo para que sejam feitas essas mudanças. Não é algo tão simples”, pondera.

Françoso revela que ainda não há um levantamento do valor necessário para adequar os prédios públicos e informa que a prefeitura está priorizando as escolas municipais. “Conseguimos, hoje (ontem), o primeiro AVCB para uma unidade escolar”, exalta.

Questionado sobre a demora em iniciar ações de adequação dos prédios, já que o grupo de trabalho para este fim está montando há apenas um ano, o secretário disse que “é complicado achar culpado agora”. “A prefeitura, ao longo dos anos, deixou de cuidar dos seus prédios públicos, assim como no Brasil todo. É um tema que não pode ser esquecido”, finaliza.

Perfis dos ‘guardiões’ da história e da cultura do município

Samantha Ciuffa
Museu Ferroviário de Bauru conta com aproximadamente 500 peças expostas ao público

Em Bauru, além da Pinacoteca, considerada Casa Museu pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, há outros três museus de responsabilidade da prefeitura. Mais antigo deles, o Museu Histórico Municipal, implantado na cidade em 1988, está fechado desde junho deste ano por conta da digitalização do seu acervo, informou o secretário de Cultura, Luiz Fonseca.

No momento, o acervo está sendo guardado adequadamente no Museu Ferroviário (que já vem passando pelo mesmo processo desde 2017) para que possa ser iniciado o serviço de higienização, catalogação e digitalização. O Museu Histórico Municipal fica na rua Rio Branco, quadra 3, no complexo da Estação Paulista.

Bauru é conhecida por ser a cidade que recebeu o maior entroncamento ferroviário do Estado de São Paulo, tanto em termos de fluxo de transporte quanto de dinheiro, a partir do início do século 1920. Todo esse desenvolvimento regional está documentado e exposto no Museu Regional Ferroviário de Bauru, que tem cerca de 500 peças expostas ao público. O prédio fica na quadra 1 da rua Primeiro de Agosto, Centro.

Cerca de 700 peças entre esculturas, desenhos, telas, fotografias e outros itens de cunho histórico, artístico e cultural estão em exposição ao público na Casa Ponce Paz, que abriga a Pinacoteca Municipal. Localizada na rua Antônio Alves, 9-10, Centro, a casa museu atrai pessoas com diversos interesses, como artistas que desenvolvem seu trabalho no local.

Difundir e fomentar o conhecimento do acervo bi e tridimensional midiático da história da cultura material e imaterial de Bauru é o objetivo do Museu da Imagem e do Som de Bauru (Misb), criado em novembro de 1933. Localizado na região central – na antiga estação da Estrada de Ferro Paulista, no mesmo imóvel em que fica o Museu Histórico Municipal -, o Misb permite o acesso de visitantes e pesquisadores a todo tipo de conhecimento.

Fonte: https://www.jcnet.com.br/Geral/2018/09/os-4-museus-de-bauru-nao-tem-auto-de-vistoria-dos-bombeiros.html#prettyPhoto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here