Orgasmo feminino

0
1829

Sexo, chocolate ou sapato novo?

 

Pesquisas comprovam que, para cerca de metade das mulheres brasileiras, o sexo não é a primeira opção escolhida. No entanto, ter uma vida sexual satisfatória faz parte de uma vida saudável e ainda aumenta a cumplicidade entre o casal.

womens-shoes-178162_1920bun-261677_1920

A última pesquisa realizada pela USP em 2016 concluiu que metade das brasileiras não tem orgasmo nas relações sexuais. O levantamento ouviu 3.000 participantes com idade entre 18 e 70 anos, divididos em cinco faixas etárias.
A ausência do desejo sexual não é uma situação normal. A falta do orgasmo também. Em muitos casos, as dificuldades do casal na cama podem resultar em angústia, frustração e até mesmo depressão.
Segundo Gisele Carneiro Maia, consultora na saúde e educação sexual, ter uma vida sexual insatisfatória possui diversas causas. Uma delas é o fato de que as mulheres ainda praticam o sexo pela obrigação de agradar, e não como um momento de prazer. “Esse pensamento precisa ser mudado. Se nossa condição fisiológica está em perfeito funcionamento, não há motivos para abrir mão de sentir prazer em cada relação”, pontua Gisele. Além disso, ter uma rotina sexual saudável garante melhor qualidade de vida.
Gisele também tem ouvido mulheres que já compreenderam a importância de uma vida sexual ativa, mas existe outro tipo de conflito. São casos em que não há a preocupação com a reciprocidade, ou seja, um dos envolvidos não está está atento às necessidades físicas do outro. Assim, etapas importantes são ignoradas, especialmente as preliminares. “O que percebo é que não há diálogo sexual entre o casal. Muitas vezes o homem não sabe onde está falhando e, neste caso, a mulher deve chamá-lo à realidade”, argumenta.
É essencial retomar a sintonia do casal com muita conversa. Silenciar a questão não vai ajudar. É preciso evitar cair na armadilha do sexo por obrigação. É comum as mulheres aceitarem a imposição masculina como forma de evitar constrangimento ou mágoa. Consequentemente, elas fingem gostar de algo que, na verdade, causa dor. “Esse tipo de situação deve ser contornada a fim de criar um ambiente saudável para o ato sexual”, afirma.
Uma noite de sexo satisfatória cria a sensação de leveza e felicidade, além de ampliar os laços afetivos com o parceiro.

Benefícios para a saúde
Ser feliz na cama também é ter saúde. Sentir orgasmo traz benefícios como a melhoria do aspecto da pele, a qualidade do sono, a diminuição do estresse e o alívio das cólicas nas mulheres.

Relaxe!
Passe um tempo sozinha e descubra o que te proporciona prazer. Comece questionando o que é culturalmente reprovável e o que é libertador e faz bem. A autoestima funciona como catalizador de mudanças significativas. Conheça-se, valorizando cada aspecto da sua personalidade e do seu corpo.
Buscar a saúde emocional e conversar sobre sexo contribui para a criar um cenário perfeito para o relaxamento. A ajuda profissional também é um forma de garantir que toda a teoria seja colocada em prática. Para conhecer o trabalho de Gisele Carneiro Maia, acesse seu facebook (/Gisele Carneiro Maia).

Damelie-5

Deixe uma resposta