Noroeste 108 anos: o clube que viu Bauru crescer

0
1018

Hoje completo mais um ano de vida, me vieram aqui muitas lembranças dos meus 108 anos de fundação. Parece que foi ontem que nasci, numa cidade recém-criada, de apenas 14 anos, expandida graças aos ferroviários, isso lá em 1.º de setembro de 1910. E, enquanto isso, fiquei sabendo na época que na Capital um grupo de pessoas também teve a mesma ideia de fundar um clube de futebol por lá. Eu nasci numa época em que a estrada de ferro proporcionou tudo o que Bauru veio a ter depois. Eu vi a cidade crescer ao meu redor.

Foi às margens da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil que esse interiorzão se desenvolveu, proporcionando, inclusive, a fundação das cidades vizinhas. Antes das tubulações de água de Bauru serem criadas, antes de existir água nas torneiras, já existia Noroeste. Antes da comarca do município, de fato, ser estabelecida, já existia Noroeste. Antes dos seus avós nascerem, já existia Noroeste. Muitas décadas antes da sua rua ter asfalto, já existia Noroeste. São 108 anos de muitas páginas escritas. E isso precisa e deve ser respeitado, por todos. A história é rica.

Eu sou o único time do Centro Paulista a disputar a Série A do Campeonato Brasileiro (1978). Sou bicampeão da Copa Paulista (2005 e 2012). Bicampeão do Interior (1943 e 2006) e possuo inúmeros acessos. Sou tricampeão Paulista Série A2 (1953, 1970 e 1984). Campeão Paulista Série A3 (1995). Disputei três vezes a Copa do Brasil (2006, 2007 e 2013). Disputei três vezes a Série B do Brasileiro (1980, 1991 e 1992). Joguei cinco vezes a Série C do Brasileiro (1990, 1998, 2006, 2007 e 2008).

Sou a materialização do simbolismo de que brasileiro não desiste nunca. Daquele que levanta a poeira e dá a volta por cima. Que acorda cedo, trabalha muito e espera uma vitória ao fim do dia.

Do que busca e encontra, nas dificuldades, a saída para crescer e avançar. Posso cair, e não tenho vergonha, mas é na queda que a gente descobre quem é forte. Não sou invencível, mas me levanto e fico de pé. O fogo que queima esse motor à lenha aqui é muito forte. Intenso. Nunca para. Assim como é o meu torcedor. Sou guerreiro, sou bauruense, sou um Senhor clube, com espírito jovem. Sempre tenho fôlego e busco forças lá das arquibancadas para me reerguer.

Sou reflexo do meu torcedor, sem dúvida o mais volumoso, o mais apaixonado e o mais fiel do Interior. O aniversário é meu, é nosso. E o único presente que eu quero são vocês, noroestinos e bauruenses, ao meu lado. Venha até minha casa hoje. Ela é sua. E os portões estarão abertos.

A bilheteria hoje será de graça. Um singelo presente para vocês. O 1.º de setembro é dia de vestir vermelho. Vamos juntos buscar mais uma vitória.

Vem comigo!

O autor é jornalista, bauruense e noroestino.

Fonte: https://m.jcnet.com.br/editorias_noticias.php?codigo=253364?utm_source=Whatsapp&utm_medium=referral&utm_campaign=Share-Whatsapp

Deixe uma resposta