Férias escolares: síndicos e condôminos devem ter cuidado com as crianças neste período

0
134

Com o período de descanso escolar, pais devem redobrar a atenção com os seus filhos dentro dos condomínios. Síndico profissional orienta como passar pelas férias com tranquilidade

As férias escolares de julho chegaram. Que alívio para as crianças e adolescentes, que agora podem ter mais tempo livre para brincar. Para as famílias que moram nos condomínios, o tempo de férias significa que estas crianças e adolescentes passarão mais tempo nas áreas em comum, como no playground, sala de jogos e piscinas dos prédios.

Mas, será que neste momento, o condomínio e o síndico devem tomar alguma atitude no sentido de prever e evitar problemas como acidentes e outros inconvenientes que possam prejudicar os demais condôminos? A resposta é sim.

O ambiente do condomínio como, as áreas de passagem de pessoas, os elevadores, as quadras de esportes e, principalmente, a piscina, precisam de proteção e regras bem claras quanto ao uso e procedimentos de segurança.

Felipe Fernandes, síndico profissional e proprietário da SindBoss, aconselha que os pais tenham uma conversa bem clara com os seus filhos sobre os limites quanto ao uso das áreas em comum e os cuidados que as crianças devem ter na hora das brincadeiras.

“Sabemos que as crianças querem extravasar este momento de férias, aproveitando cada minuto para brincar e se divertir. Elas merecem este descanso. Mas, um condomínio possui regras que não tiram férias, por isso, é muito importante que as famílias tenham conhecimento do regimento interno do seu condomínio sobre o que é permitido e o que não é para orientar os seus filhos”, afirma.

Outra situação que Felipe alerta é quanto ao uso das piscinas. “Mesmo que julho seja um período de frio, pode acontecer que tenhamos tardes mais quentes e as crianças queiram aproveitar a piscina. Nesta situação, as crianças menores de 12 anos não devem usar este espaço desacompanhada dos pais ou responsáveis, já que o risco de um acidente mais grave é muito grande na piscina”.

Há casos, ainda, que as crianças ficam transitando pelas áreas em comum do condomínio, incluindo a garagem. “Esta situação é bem delicada. Primeiro, porque uma criança pequena não pode ficar sozinha andando pelo condomínio. Segundo, há muitos prédios em que a garagem fica no térreo, próximo às áreas de circulação dos pedestres. Se uma criança sai correndo atrás de uma bola, por exemplo, e um morador estiver manobrando ou saindo com um carro, há um risco enorme de um acidente sério”, explica Fernandes.

Felipe sugere que neste período de férias, os síndicos realizem reuniões ou espalhem comunicados internos detalhando todas as regras e cuidados que as famílias devem ter com os filhos neste período, incluindo até os cuidados dentro de casa, como por exemplo, o uso de fogão e utensílios domésticos.

“É uma época de descanso e relaxamento. Há muitos pais que também tiram férias em julho. Por isso, nada melhor que todos os condôminos estejam atentos e cientes dos riscos inerentes de uma criança ficar sozinha dentro do condomínio para, assim, evitar qualquer problema e passar por este período com a tranquilidade e alegria que as férias trazem a todos nós”, diz o síndico profissional.

Dicas para aumentar a segurança do condomínio para as crianças

1- Coloque faixas antiderrapantes no chão e nos degraus das escadas;
2- Instale grades com trava em volta da piscina;
3- Mantenha a manutenção das áreas em comum sempre em dia;
4- Não permita o acesso livre das crianças em saunas e academias;
5- Verifique se não há brinquedos quebrados no playground. Caso haja, providencie imediatamente o conserto;
6- Oriente o porteiro a não permitir, em hipótese alguma, a saída de crianças desacompanhadas do condomínio;
7- Espalhe comunicados chamativos e interessantes no elevador e nas áreas de circulação com as principais orientações para os pais e filhos.

Deixe uma resposta