Famílias acampadas em fazenda de Bauru protestam contra venda do imóvel

0
1760

Cerca de 100 integrantes de movimentos sociais fizeram uma manifestação na tarde desta quinta-feira (28) em frente ao fórum de Bauru (SP). O grupo foi formado por famílias que ocupam a área da Fazenda Santo Antônio.

O imóvel pleiteado para fins de reforma agrária pertence ao Frigorífico Mondelli, de Bauru, que decretou falência em 2014. A área já foi alvo de seguidas ocupações, a última delas promovida no início de dezembropor cerca de 200 famílias.

Os manifestantes alegam serem contra a decisão da Justiça que autorizou a venda do terreno, em leilão, para quitar dívidas do frigorífico.

Os movimentos sociais que pleiteiam a área da Fazenda Santo Antônio pedem que a proposta do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) de comprar a área seja considerada.

Em nota enviada no início do mês, a Superintendência Regional do Incra-SP informou que tem interesse em participar do leilão da fazenda Santo Antônio, afim de destiná-la para a reforma agrária, e que trabalha nos trâmites administrativos para a disponibilização dos recursos necessários.

Entenda o caso

A falência do frigorífico Mondelli foi decretada pela Justiça em dezembro de 2014, mas as atividades da unidade de produção industrial (abatedouro e fábrica) foram mantidas para garantir o emprego dos cerca de 700 funcionários.

A empresa está avaliada em R$ 88 milhões, mas o pagamento dos credores depende do fim do processo judicial envolvendo o frigorífico.

O plano de recuperação judicial apresentado pela empresa não foi aprovado pela Justiça. O Frigorífico Mondelli continuou as atividades, mas suspendeu o pagamento de credores.

No começo deste ano, integrantes da Frente Nacional de Luta (FNL) já tinham ocupado a fazenda. Em setembro, foi feita a reintegração de posse de outra propriedade do grupo, a São Leopoldo, que ficou ocupada por 19 meses.

Já em junho de 2016, cerca de 100 integrantes da FNL invadiram a São Leopoldo. Dias antes, o presidente do Incra esteve em Bauru e admitiu que o local poderia ser usado para a reforma agrária.

No mês de setembro, novamente integrantes da FNL voltaram a ocupar as terras da Fazenda São Leopoldo para pedir agilidade no leilão das propriedades da empresa para fins de reforma agrária.

Fonte: https://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/familias-acampadas-em-fazenda-de-bauru-protestam-contra-venda-do-imovel.ghtml

Deixe uma resposta