Falta de respeito e postura do prefeito de Bauru

0
722
Advogado; presidente da Avallone Advogados e da Associação Sem Limites. Facebook: fb.com/eduavallone

No mês de janeiro, reproduzi em minha página um trecho da coluna Entrelinhas do Jornal Cidade no qual era questionada a demora do conserto dos aparelhos de ar-condicionado do Teatro Municipal. Assim como tenho feito com outros textos publicados pela imprensa, faço um questionamento baseado naquilo que é publicado, tendo em vista, claro, a respeitabilidade do meio de comunicação. É inegável para todos nós a credibilidade do Jornal da Cidade que já passou pelos 50 anos de histórias. Logo, levar ao conhecimento dos cidadãos de Bauru e fazer um questionamento apoiado em fatos deve ser visto como um ato legal, podendo ser realizado por qualquer pessoa e não deixa de ser um serviço de utilidade público.
Afinal de contas, qual o mal de divulgar para os bauruenses que, depois de dois meses, há em andamento um processo de licitação para o conserto dos aparelhos de ar-condicionado e a administração do prefeito Gazzetta fala em aluguéis de aparelhos para serem usados enquanto ocorre o processo licitatório e o posterior conserto. Burocracia, lentidão e demora para repassar o assunto para a população (o incidente ocorreu lá pelo início do mês de novembro/dezembro). Difícil destravar a cidade com ações semelhantes a essa.
O prefeito Gazzetta, bem como a página oficial da Prefeitura, passou a responder inúmeros munícipes que participaram, interagiram e compartilharam o meu post. Em uma resposta pública, a Prefeitura reforça todos os fatos que o Jornal da Cidade publicou e que eu fiz questão de postar. No entanto, mais curioso ainda, diz que o fato não é verdadeiro e que eu “repliquei inverdades”, bem como todos aqueles que compartilharam o post em sua página.
Em outras respostas, essas feitas por meio privado (via inbox dos usuários do Facebook) pelo perfil particular do prefeito Gazzetta, são feitas as mesmas colocações publicadas pela Prefeitura, mas com ataques diretos dirigidos a minha pessoa. O prefeito coloca que essa “infelizmente é mais uma postagem que falta com a verdade deste cidadão chamado Edu Avallone” e termina afirmando que “mais uma vez o sr. Edu Avallone deturpa a verdade para ganhar curtidas nas redes sociais”. Fica evidente o desejo do prefeito de desqualificar e atacar grosseiramente as opiniões de um cidadão, pai de família, advogado e empresário bauruense ao invés de fazer um esclarecimento sobre aquilo que é colocado. Por outro lado, de forma indireta, ele tenta descredenciar em alguma medida a imagem do próprio veículo que postou a informação.
Acredito que os bauruenses estejam cansados desse tipo de política que tem por finalidade desqualificar todos aqueles que discordem ou que simplesmente opinem sobre acontecimentos da administração pública. Ao desqualificar a opinião de um cidadão em vez de responder seriamente aos questionamentos, o prefeito nega à sociedade o direito intrinsecamente democrático de vigiar os atos dos administradores. Isso é extremamente negativo, um desserviço ao ambiente democrático, só faz valer a gritaria, com muita ofensa, o que não ajuda ninguém. A ironia é que não ajuda nem mesmo esse tipo de agente político.
Lamentável a falta de postura e respeito do prefeito.

 

Deixe uma resposta