Estudantes de medicina da FOB/USP se mobilizam contra o fechamento do HC

0
169

Universitários se reunirão, na tarde desta sexta-feira (27), a partir das 15h, no Parque Vitória Régia, para confecção de cartazes e faixas

Alunos do curso de medicina da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da Universidade de São Paulo (USP) se mobilizam para evitar o encerramento das atividades do Hospital das Clínicas (HC), previsto para a próxima terça-feira (1), segundo a Famesp (fundação que administra a unidade). Desde o dia 1 de julho, a unidade funciona como hospital de campanha para a Covid-19.

A partir do movimento “O HC não pode morrer”, os universitários se reunirão, na tarde desta sexta-feira (27), a partir das 15h, no Parque Vitória Régia, para confecção de cartazes e faixas. Já para este sábado, estão programadas conversa com a população a partir das 10h no Calçadão da Batista de Carvalho e buzinaço com concentração no Vitória Régia, a partir das 14h.

Quando definiram a programação, elaboraram uma carta com posição irrestrita contra o encerramento das atividades desenvolvidas no prédio do HC, demandando não somente a sua manutenção, mas também a ampliação de seus leitos e especialidades, com o objetivo de sanar as necessidades da população de Bauru e região.

CARTA

“Trata-se de um posicionamento intransigente em defesa da saúde pública. Para isso, é necessária a urgente assinatura do Acordo de Cooperação Técnica entre a USP e o Governo do Estado, que está em análise jurídica pela Secretaria Estadual de Saúde desde outubro de 2019, e que é a ferramenta capaz de selar a parceria entre a Universidade e o Governo, dando condições para que o prédio se torne, finalmente, o HC de Bauru”, constam em trechos do documento.

Os signatários destacam o fato da população de Bauru sofrer com a falta de leitos hospitalares há muitos anos, tendo que passar dias nas UPAs até que se consiga uma vaga de internação. “Por isso, a abertura de um novo hospital na cidade, que nos foi prometido, seria capaz de amenizar esse sofrimento inadmissível do povo, auxiliando no processo de promoção à saúde de qualidade”, consta em outro trecho.

A possibilidade de fechamento do HC já vinha sendo aventada há algum tempo. Porém, no início de outubro, em visita a Bauru, o governador João Doria garantiu que o Estado manteria a unidade em funcionamento após a pandemia, para atendimento de pacientes com demandas relacionadas a outras especialidades médicas.

OPERAÇÃO

No entanto, o presidente da Famesp, Antonio Rugolo Júnior, explicou em matéria publicada ao JC nesta sexta-feira (27), que o desligamento dos cerca de 100 funcionários que permaneciam vinculados ao HC precisará ser efetuado até o último dia de novembro porque o convênio com o governo do Estado se encerra no dia 31 de dezembro.

Apesar da confirmação da Famesp e dos próprios funcionários que já foram avisados do encerramento, a Secretaria de Estado da Saúde continua dizendo, por meio de nota, que não há suspensão de atividades no momento e que o HC segue operando com 20 leitos de enfermaria, com “uma taxa baixíssima de ocupação, de 10% na noite de quinta-feira”, o que equivale a dois pacientes. Conforme o JC apurou, contudo, outros internados já teriam sido transferidos para o HE e a admissão de novos pacientes foi interrompida.

Fonte: https://www.jcnet.com.br/noticias/geral/2020/11/742451-estudantes-de-medicina-da-fob-usp-se-mobilizam-contra-o-fechamento-do-hc.html

Deixe uma resposta