Desbrave o ecoturismo de Botucatu

0
1367

Cidade é também uma viagem pela história do País

A cidade de Botucatu, localizada a 235 km da capital, atrai turistas apaixonados pela natureza e pelos esportes radicais. O local faz parte do Pólo Cuesta, que é composto por dez cidades que têm como característica comum a formação geológica ideal para a prática do ecoturismo.

Para quem aprecia o simples contato com a natureza em passeios mais tranquilos, a região oferece várias opções como cachoeiras, trilhas e o turismo rural. Uma das principais atrações é o Parque Ecológico da Pavuna, um local belíssimo com quatro cachoeiras e quedas que variam de 20 a 80 metros. As trilhas que dão acesso às cachoeiras têm níveis que variam de médio a difícil.

Outra excelente opção é o Parque Natural Municipal da Cachoeira da Marta. O local abriga o vale do rio Roseira que forma um lago represado e uma cachoeira, com 37 metros de queda e piscina para banho.

Para os amantes dos banhos de cachoeira, vale uma visita as cachoeiras da Indiana e da Fazenda Canela. A primeira tem cachoeiras com 15 metros de altura e escorregador natural, enquanto na segunda as quedas de água são maiores e variam de 20 a 45 metros.

Outro ponto que deve ser visitado é o Gigante Adormecido, uma formação rochosa composta por três pedras que lembram uma pessoa deitada de barriga para cima – daí a origem do nome. O local é ligado às velhas lendas sobre o povoado da região..

Viagem pela história
Os monumentos geográficos serviram de referência para os incas percorrerem o famoso caminho do Peabiru, trilha que ligava as terras peruanas ao Oceano Atlântico. A região foi ainda sede de fazendas de jesuítas, condes e povos de diversos países e também rota de tropeiros.

Entre os prédios históricos, está a Escola Dr. Cardoso de Almeida. Segundo a população é o prédio mais bonito da cidade. Desde 1985, o prédio que foi projetado pelo arquiteto francês Victor Dubugras é utilizado para o ensino.

Também se destaca pela beleza é a Fazenda Lageado, que foi edificada em 1936. O local abriga o Museu do Café onde o visitante pode conhecer um pouco sobre a história da indústria cafeeira do Oeste Paulista.

Apesar das alterações sofridas, a fazenda conserva seus porões, a antiga senzala, os tanques de lavagem, os terreiros para secagem do café e as cadas de máquina de beneficiamento.

fonte: Do Portal do Governo do Estado

https://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia2.php?id=246666

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here