Chuva atípica de outono castiga Bauru

0
1382
Chuva em Bauru av Nações Unidas sob o viaduto da linha férrea

Atípicas na estação seca, as fortes pancadas de chuva nessa sexta-feira (5) causaram susto, transtorno e prejuízo por Bauru e também na região. Na avenida Nações Unidas, ao menos três carros ficaram ilhados, em pontos diferentes. A chuva também provocou acidentes pelas vias da cidade. Alguns semáforos desligados por conta de descargas elétricas também atrapalharam o trânsito. Os fatos, por sorte, não resultaram em feridos graves, segundo o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e a Polícia Rodoviária.

O caso mais grave foi no Jardim Carolina, ontem uma casa foi invadida pela enxurrada e terminou interditada pela Defesa Civil.

Além de pontos de alagamento, a chuva também fez com que mais de 7 mil imóveis ficassem sem energia elétrica por aproximadamente uma hora, na tarde dessa sexta-feira (5). O problema teria decorrido de quedas de galhos na rede elétrica, segundo a CPFL.

A chuva, que durou cerca de quatro horas com pequenas interrupções, foi considerada atípica pelo IPMet.

Os ventos atingiram 45,1 quilômetros por hora na estação do IPMet. “Em outras regiões da cidade, pode ter sido ainda mais rápido, mas não temos como medir”, pontua o meteorologista André Mendonça.

O acumulado pluviométrico também foi alto: 64,5 milímetros até o fechamento desta edição. O índice, no entanto, é menor do que o registrado em 18 de janeiro deste ano, quando, em apenas um dia, choveu 164 milímetros, média geralmente esperada para um mês. “Estamos em uma estação seca, portanto atípica, mas nada impede que um fenômeno como o de hoje (ontem) ocorra. É a natureza”, pontua Mendonça. Certamente, contudo, é um dos maiores índices já registrados no mês de maio dos últimos anos.

SOCORRO AOS ILHADOS

Logo no início da chuva, a Emdurb e equipes da Defesa Civil dizem ter bloqueado o trecho da Nações Unidas, na altura com o antigo viaduto da Fepasa.

Por volta das 18h, no entanto, o Corpo de Bombeiros foi acionado para socorrer um casal que teria ficado ilhado no interior de um carro preto, no sentido Centro-Bairro, naquele trecho. as vítimas foram retiradas do local e foram embora por meios próprios.

“Não sabemos o que ocorreu, porque o acesso estava fechado. Pode ser que o cavalete tenha sido arrastado. Por isso, defendo a implantação de cancela”, afirma Sidnei Rodrigues, coordenador da Defesa Civil do município.

Outro acionamento dos bombeiros teria partido de um condutor ilhado, também na Nações, na altura do Parque Vitória Régia. Logo após, mais um pedido de socorro, por parte de uma motorista presa na Nações, na altura do cruzamento com a avenida Jorge Zaiden.

TRÂNSITO CAÓTICO

O temporal também causou vários problemas no trânsito. Em diversos pontos no Centro e de cruzamentos com a avenida Nações Unidas, os semáforos pararam de funcionar. A Emdurb diz que o problema teria sido provocado por conta de descargas elétricas. Na avenida Duque de Caxias, no sentido Centro-Jardim Marambá, o mesmo problema causou lentidão e alguns motoristas efetuaram manobras arriscadas para fugir das filas.

No início da noite, alguns cruzamentos no Centro ainda registravam problemas semafóricos. Também em virtude da chuva, engavetamentos e colisões traseiras foram registrados na Cruzeiro do Sul e também em trechos urbanos das rodovias Bauru-Pederneiras, Bauru-Marília e Marechal Rondon.

A chuva gerou transtornos ainda para moradores da região da Nova Esperança e Bauru 16. O Córrego da Grama transbordou e impediu a passagem entre as ruas São Sebastião e a avenida Waldemar G. Ferreira.

Enxurrada deixa família desalojada

Fotos: Malavolta Jr.
A água desceu com bastante força e atingiu imóvel de família na quadra 4 da rua Benedito Ribeiro dos Santos, no Jardim Carolina; rachaduras fizeram Defesa Civil interditar a residência

O temporal se transformou em pesadelo para uma família moradora da quadra 4 da rua Benedito Ribeiro dos Santos, no Jardim Carolina, em Bauru. Eles perderam tudo o que tinham na lama. A enxurrada danificou o muro da frente da propriedade, que possui dois casebres, e invadiu o imóvel situado nos fundos, onde mora a dona de casa Maria Lúcia Pedro Camargo, de 66, junto com o genro e a filha dela.

A propriedade é a mesma que registrou problema semelhante, em fevereiro deste ano, com as fortes chuvas. Na época, a prefeitura construiu uma parede na tentativa de conter a invasão da água, já que o sistema de galeria do local é insuficiente e a casa fica abaixo do nível da rua. “Eu estava assistindo TV no quarto quando ouvi o estrondo. Levantei da cama e a água já encobria meus pés”, conta Maria.

Segundo ela, a enxurrada chegou ao umbigo. A moradora foi retirada do local pelo filho, vizinho da casa, com a ajuda da Polícia Militar.

Genro dela, Nelson Napoleão, de 56 anos, diz que a prefeitura havia prometido, em fevereiro, erguer as guias das calçadas, com o intuito de evitar a invasão da água. “Até agora, nada foi feito”, critica.

A Defesa Civil esteve no local e interditou a casa danificada. Coordenador do órgão, Sidnei Rodrigues disse que ajudará a família a recuperar a casa e que irá construir muros de arrimo no local. “O engenheiro está avaliando. Eles terão nosso acompanhamento técnico”, frisa.

Para tanto, a Defesa Civil solicita doações de materiais de construção, como telhas e tijolos. Contato: (14) 99108-1200.

A família também recebe doações de roupas, móveis e eletrodomésticos por meio do (14) 99850-2217.

E o final de semana?

Embora a chuva dessa sexta-feira (5) tenha trazido a impressão de que o final de semana inteiro seria de tempo fechado, o Centro de Meteorologia de Bauru (IPMet) garante que o sol brilhará entre hoje e amanhã. A expectativa é de que as temperaturas voltem a subir a partir de domingo.

Segundo o meteorologista José Carlos Figueiredo, a passagem de uma frente fria trouxe a chuva dessa sexta, mas o fenômeno já se dissipou. Logo, o final de semana será ensolarado e quente. Hoje, as temperaturas deverão ficar entre 16 e 25 graus. Já amanhã, entre 18 e 28 graus.

Deixe uma resposta