fbpx
segunda-feira, 15 de agosto de 2022
Anúncio
Home Noticias Bauruenses relembram quais os estabelecimentos antigos que fazem falta na cidade

Bauruenses relembram quais os estabelecimentos antigos que fazem falta na cidade

1
1624

Quem aí não sente falta do Lucy, do Vila Madalena e da W? Estes e outros famosos empreendimentos fizeram história em Bauru e, até hoje, deixam saudade quando o assunto é entretenimento.

E, como muitos lugares fazem falta na cidade, conversamos com alguns bauruenses para relembrar onde costumavam frequentar. Quem nos deu essa ideia foi o bauruense Jota Be, que perguntou, em uma postagem do Facebook, quais locais de Bauru deixaram saudade. O post recebeu 83 curtidas e 67 comentários e os principais locais citados foram: Tekila, Bar do Espanhol, Deck, cachorro-quente das lojas Americanas, Los Compadres, Paiol, Tropicaliente e Orangotango.

E você sente saudade de qual local de Bauru? Confira os depoimentos sobre o que deixou saudade em nossa cidade!

A Cervejaria dos Monges, que depois virou DOLCE e hoje é a igreja Bola de Neve

Leandro Ferrari

“Um dos lugares que Bauru já teve e que deixa muitas saudades, sem sombra de dúvidas, é a Cervejaria dos Monges. Hoje sinto falta de uma casa de show que tenha espaço, som de qualidade, acústica, além da variedade de atrações musicais. A cervejaria era um lugar com um visual bacana baseada em cervejarias alemãs. Os tanques, onde eram produzidos os chopes, ficavam à mostra atrás do palco e o bar funcionava logo abaixo dele. Era uma casa com conceito diferenciado que pensava em oferecer a experiência de desfrutar do local e das bebidas. Além disso, prezava por uma acústica muito boa. Você ia a um show e ouvia tudo claramente; nunca saía com aquele zunido nos ouvidos. Além, é claro, do nível das atrações musicais. Eram shows incríveis! Você sentia que a cidade fazia parte de um circuito de artistas renomados, inclusive atrações internacionais como os grandes Blue Man e B. B. King. A Cervejaria com certeza deixa muita saudade; deixou uma lacuna na cidade que, desde seu fechamento, nenhum outro local conseguiu se estabelecer oferecendo algo no mesmo patamar”.

A balada Villa Madalena ficava onde, hoje, é o On The Road

Nathalia Faria

“Um dos lugares que sinto falta em Bauru é o antigo Ponto G e até seu prédio já foi demolido. Mas era comum reunir os amigos no final de semana e passar por lá. Era um lugar super acessível, com ótimas opções de porções, sucos e outras bebidas. Até mesmo quando o movimento não era como antigamente, eu curtia ir com as minhas amigas para bater papo, comer e ficar olhando o pessoal que passava pela Getúlio”.

A lanchonete Lucy ficava na Rua Antonio Alves. Hoje, quem ocupa o local é o bistrô Grão 3

Juliana Bellotti

“Ah, eu tenho muita saudade do boliche que ficava perto da Praça Portugal. Entrar lá sempre me trazia alguma lembrança dos tempos de adolescente, quando juntávamos a turma da escola. Sinto saudades do Engenho Banguê também! Música boa, chopp barato e bem em frente à Copaíba: quer happy hour mais agradável que esse?”.

Bar do Espanhol, em 2004, localizado na Av. Getúlio Vargas

Jéssica Santos

“Eu amava o Bar do Espanhol, a Cachaçaria Paulista e o Aloha Açaí, principalmente, em época de apresentação de bandas independentes. A galera batia cartão, era mega top! Mas, com certeza, o que realmente me dá mais saudade é o Bar do Espanhol. Inclusive, foi ótim, quando eles se mudaram para perto da Duque de Caxias. Pena que eles fecharam as portas. A época que o bar estava na Getúlio foi uma das melhores”.

O Cajú Bar era localizado na Rua Rio Branco, próximo ao Confiança Max

Jady Pontes

“Estou em Bauru desde os meus 10 anos de idade. Tirando o trânsito, gosto muito da cidade, das pessoas e de alguns lugares. Sou adepta a bares. Adoro um barzinho onde posso tomar cerveja tranquilamente na sexta-feira, depois de uma semana agitada. E se a mesa estiver na calçada, aí é sucesso. Antigamente, era comum juntar as amigas depois do trabalho e ir para o Canta Galo ou no Buteco do Teté. Era muito bom, principalmente nos dias de verão quando os dias ainda estão claros bem mais tarde. Hoje acabamos buscando outras alternativas, mas é uma das coisas que sinto falta em Bauru.”

O barzinho “Los” que servia a famosa bebida “Ventuinha”

Rosangela Diegoli

“Eu sinto falta de ir às festas juninas que aconteciam no SESC. Era um evento muito esperado por mim, pois além de eu adorar as celebrações típicas desta época do ano, eu podia encontrar meus amigos na festa e dançar quadrilha com eles (eu fazia parte do Curumim, então ficava o dia todo no SESC). Era tudo muito gostoso. Lembro dos estandes culturais que serviam pratos típicos de outras regiões brasileiras (foi a primeira vez que como feijão tropeiro!) e das apresentações de ícones da música caipira como Mário Zan e Inezita Barroso. Época maravilhosa, pena que não dá pra voltar”

A balada Santa Madalena, na Rua Antonio Alves

Bruno Emmanuel

“Sinto falta de uma casa de shows com bastante espaço e boa acústica, que comporte a vinda de bandas de rock e mpb. No estilo do que existia nas extintas Cervejaria dos Monges e Bauru Kart Indoor. Estes lugares receberam inúmeros shows importantes e até internacionais. Hoje, os shows grandes em Bauru se resumem a artistas já renomados”.

Deck do Espanhol, ficava ao lado de onde é o On The Road hoje

 

1 COMMENT

  1. Eu sou espantado, deѵo Ԁizer . Raramente eu fazer deparar um blog
    é аmbos educativa e divertido , e deixe-me dіzer , tem bateu о prego
    na cabeçа. O problema é umа qᥙestão que não suficiente
    ѕão peѕsoas falando inteligentemente soƄre.

    Ꭺgora еu sou muito feliz I deparei ⅽom isto
    em meu procurar alɡo respeito deste .

Deixe uma resposta

WhatsApp chat