Bauruenses indicam 50 demandas para o Orçamento estadual

0
1507
ALESP Discute Orçamento 2019 Aline Fogolin, Pedro Tobias e Sandro Bussola

Liderança políticas, entidades sociais e de classe de Bauru e mais 20 cidades da região elencaram cerca de 50 propostas a serem contempladas pelo Orçamento Estadual de 2019, durante audiência pública realizada ontem na Câmara Municipal pela Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Anfitrião do evento, o deputado estadual Pedro Tobias (PSDB) apresentou 18 sugestões (veja mais nesta página).

Deste total, o parlamentar prioriza três intervenções que julga serem importantes para o curto prazo: construção do novo Fórum, de um centro de atendimento a dependentes químicos, e também a viabilização do Parque Tecnológico como forma de geração de emprego e renda para a cidade e região. “Hoje, o Poder Judiciário tem cinco prédios em locais distintos, o que prejudica a população e ainda gera gasto de aluguel. É necessário unificar o serviço em um só prédio, para propiciar mais qualidade ao atendimento”, destaca.

Tobias lembra que Botucatu é a cidade mais próxima para internação de pessoas com dependência química. “Trata-se de um mal que, infelizmente, atinge toda classe social, seja rico ou pobre. Já a construção do Parque Tecnológico foi autorizada pelo então governador Geraldo Alckmin há cerca de 12 anos, mas o município não agilizou uma área. O investimento significa trazer inovação industrial para Bauru e cidades vizinhas”, aponta o deputado.

Diretor da 3.ª Região Administrativa Judiciária (RAJ) de Bauru, o juiz João Thomaz Diaz Parra disse que estão sendo pleiteados R$ 20 milhões para o início das obras. Ele destaca que já há um terreno de 50 mil metros quadrados pertencente à Fazenda do Estado.

“Hoje, temos 21 varas instaladas em Bauru, distribuídas em cinco prédios distintos. Além de gerar um transtorno para a população e advogados, acarreta um gasto extra de aluguel para o Estado na ordem de R$ 1 milhão por ano, além das despesas com serviços terceirizados, como vigilância e limpeza, que, no total, somam R$ 2 milhões por ano. Um dinheiro que poderia ser utilizado na melhoria do serviço do Poder Judiciário”, afirma.

Titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Renda (Sedecon), Aline Fogolin destaca que o Parque Tecnológico representa ter um local restrito para o desenvolvimento de empresas, com base tecnológica para potencializar e induzir novos negócios para o município. Vai gerar mais renda e emprego a Bauru”, aponta.

R$ 50 MILHÕES

Douglas Reis
Pedro Tobias apresentou 18 proposta e priorizou a construção do novo Fórum em Bauru “Espero que comece a ser construído em março do ano que vem”

Representando o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD), a chefe de gabinete Majô Jandreice fez uso da tribuna para destacar a necessidade de R$ 50 milhões do Estado para serem destinados ao Programa Municipal de Atendimento ao Idoso (Promai); para obras de parques urbanos – incluindo a revitalização da lagoa da Quinta da Bela Olinda e Água do Sobrado -; à construção da “Casa da Mulher” e melhorias das estradas rurais e maquinários.

O deputado estadual Celso Nascimento (PSC) priorizou questões da saúde, como aplicação de recursos na melhoria do atendimento nos hospitais que atendem pelo SUS, visando aumentar leitos para internação – inclusive UTI; além de solicitar o início das obras de reforma do Hospital Manoel de Abreu. Ele também defende a construção do novo Fórum e da Cidade Judiciária, bem como liberação de verba para infraestrutura e saneamento básico.

A Câmara também entende como prioritária a destinação de verba para a saúde pública, em razão do déficit de leitos hospitalares em Bauru – que atendem pacientes de toda a região. Em documento assinado pelo presidente da Casa, Sandro Bussola (PDT), são priorizadas a reforma do Hospital Manoel de Abreu, fechado desde o primeiro semestre de 2016 com a expectativa de que as obras, que sequer começaram, ficariam prontas no fim de 2017; e o credenciamento de novos leitos e eventuais reformas em espaços ociosos de unidades em funcionamento na cidade, como os hospitais de Base e Manoel de Abreu.

As propostas foram acampadas também pelos vereadores Coronel Meira (PSB) e Telma Gobbi (SD).

Representantes de associações de bairro participaram da audiência e tiveram a oportunidade de entregar demandas, que sugerem repasses para investimentos em áreas de educação, saúde e segurança. Lideranças ligadas à Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) reivindicaram a contrapartida de 2% do governo estadual para sustentação do plano de saúde dos servidores.

‘Espero que a construção do novo Fórum comece até março de 2019’

Douglas Reis
João Thomaz Diaz Parra lidera demanda do Fórum

As sugestões elencadas na audiência de ontem serão protocoladas na Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Alesp, que é presidida pelo deputado Wellington Moura (PRB) e composta por 11 membros efetivos.

As propostas devem ser avaliadas sob critérios de maior prioridade. “Até um ano atrás achavam inviável a vinda da Faculdade de Medicina a Bauru, que era papo de político. Mas conseguimos. Espero que a construção do novo Fórum comece até março do ano que vem. Vamos trabalhar para que isso ocorra”, destaca o deputado estadual Pedro Tobias.

Por conta da crise e arrecadação, ele reconhece a dificuldade de liberação de recursos pelo governo estadual, mas garante que fará intervenção junto à Assembleia. “As propostas vão para a Comissão de Finanças e precisam ser encaixadas no orçamento do Estado para 2019. Vou atrás do relator para incluí-las no relatório dele”, projeta.

O deputado estadual Marco Vinholi, líder do PSDB, integra a comissão de Finanças da Assembleia Legislativa de São Paulo. Ele fala que o valor dos repasses deve ser maior para o próximo ano. “A gente tem a expectativa de um leve aumento no orçamento do Estado de R$ 216 bilhões para R$ 230 bilhões”, calcula.

“Nós temos uma tradição de acatar um percentual dessas propostas. Aqui se falou muito em saúde, educação. Essa pauta vai ser levada à Comissão e, com certeza, atenderemos regionalmente os pleitos de cada audiência. O novo Fórum também tem prioridade”, finaliza.

Mais propostas

Além do Fórum, do centro para dependentes químicos e construção de um Parque Tecnológico, o deputado estadual Pedro Tobias elenca também como prioridades para repasse do Estado mais recursos para recuperação e pavimentação de rodovias e estradas rurais; além da ampliação de recursos para o Iamspe; construção de novos Centros de Convivência do Idoso na região; reforma e modernização do prédio do Instituto Adolfo Lutz de Bauru e ampliação de vagas para os ensinos técnico e tecnológico por meio das Etecs e Fatecs.

Fonte: https://m.jcnet.com.br/Geral/2018/06/bauruenses-indicam-50-demandas-para-o-orcamento-estadual.html?utm_source=Whatsapp&utm_medium=referral&utm_campaign=Share-Whatsapp

Deixe uma resposta