Prefeitura e Câmara discutem proposta inicial de um novo centro administrativo em Bauru

0
403

A Prefeitura de Bauru e a Câmara Municipal discutiram, nesta sexta-feira (3), a criação de um centro administrativo para integrar todos os setores da prefeitura, com espaço próprio e independente também para a Casa de Leis, no futuro Parque Jurandyr Bueno Filho, conhecido como Parque do Castelo, na avenida Nações Unidas Norte.

A proposta ainda é inicial, sem aumentar as despesas do município. A ideia é abrir uma manifestação de interesse, para que empresas possam apresentar projetos, embasadas nas diretrizes que serão formatadas pela prefeitura. Em seguida, é aberta uma licitação, para que uma empresa faça a construção dos prédios, com área total construída de mais de 76 mil metros quadrados e a urbanização do parque no entorno, que deverá ser a maior área de lazer do município.

Após a conclusão das obras, a prefeitura e a Câmara vão pagar um valor mensal para esta empresa, por um prazo de concessão de 20 a 30 anos. Este valor deve ser inferior ao que é gasto atualmente com locações. Ao final do prazo de concessão, os imóveis ficarão para o município.

A apresentação foi feita pelo secretário de Planejamento, Nilson Ghirardello, com o arquiteto Wilton Dias, também da Seplan. Participaram a prefeita Suéllen Rosim, o presidente da Câmara, vereador Markinho Souza, e os vereadores Júnior Rodrigues, Lokadora, Miltinho Sardin, Edson Miguel, Beto Móveis, Coronel Meira, Marcelo Afonso, Pastor Bira, Chiara Ranieri e Júlio César.

O estudo preliminar considera a mudança de toda a estrutura administrativa da prefeitura, envolvendo as secretarias, e ainda a Emdurb e o Departamento de Água e Esgoto (DAE). Os imóveis terão como receber cerca de 1.220 funcionários da prefeitura, DAE e Emdurb, e 170 da Câmara, com 1.450 vagas de estacionamento.

Também deve ser incluído no projeto que os novos prédios utilizem energia solar, façam o reaproveitamento de água da chuva, e melhor aproveitamento da luz natural, reduzindo despesas. A proposta considera a área disponível, e a perspectiva de crescimento da região norte, e ainda a economia com aluguéis e despesas indiretas, como viaturas, combustível, energia elétrica, e a otimização da integração entre secretarias e a aceleração de processos.

A prefeitura atualmente aluga 69 imóveis, de diferentes portes, com uma despesa mensal de mais de R$ 317 mil. Já os prédios próprios que são usados atualmente precisam de adequações, inclusive para obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), mesma situação da Câmara. Na Casa de Leis, a despesa apenas com manutenção foi de R$ 1 milhão nos últimos cinco anos, de acordo com o presidente Markinho Souza. A prefeitura e a Câmara criaram uma comissão que está discutindo a proposta, e os estudos vão seguir no começo do ano que vem.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO
PREFEITURA DE BAURU

Deixe uma resposta