On-line e gratuito, Shell Talks reúne lideranças para falar do futuro

0
131
Lideranças do Shell Talks: André Araujo, presidente da Shell Brasil, André Clark, Gerente geral da Siemens Energy Brasil, Clarissa Lins, presidente do IBP, e Sérgio Rial, presidente do Santander Brasil. Fonte: Divulgação por Shell

Evento vai discutir oportunidades econômicas do Brasil, transição energética, inovação, empreendedorismo e diversidade

Baseado em inovação e tecnologia, com protagonismo econômico tanto no Brasil quanto globalmente, o mercado de energia terá peso fundamental no processo de retomada que o mundo precisa desenvolver pós-pandemia de Covid-19. É justamente por isso que a Shell reunirá lideranças do setor para trocar ideias em ricos debates no Shell Talks, entre 1 e 3 de dezembro. Em formato inovador, on-line e gratuito, o evento é realizado em parceria com os jornais O GLOBO e Valor Econômico.

Diretamente de um estúdio na sede do GLOBO, no Rio de Janeiro, os encontros serão transmitidos ao vivo para a plataforma digital do Shell Talks (shell.com.br/rog) na Rio Oil & Gas 2020, o maior evento do setor de óleo e gás na América Latina, que tem Shell entre os principais patrocinadores.

Novas oportunidades para o Brasil em águas profundas, transição energética, pesquisa, empreendedorismo, economia criativa, Indústria 4.0,  diversidade e inclusão estarão entre os temas discutidos nos diferentes painéis. Tudo convergindo para o mote principal do Shell Talks: em meio a tantas transformações sociais, econômicas e ambientais, como será o futuro do mercado de energia?

Pela segunda vez, o Shell Talks acontece em paralelo à Rio Oil & Gas. É uma maneira de ampliar e ecoar temas importantes da feira, explica André Araujo, presidente da Shell Brasil:

— O Shell Talks surgiu da necessidade de ter um engajamento mais específico sobre a Shell com atividades que queremos destacar e aproximar do público da Rio Oil & Gas da companhia. O ambiente sempre foi de exposições e conversas individuais, mas entendemos que seria eficiente se esses papos fossem agrupados.

André vai participar do painel “Agenda propositiva para o Brasil”, um debate com os  CEOs da Siemens e do Santander.

— Queremos olhar para fora da indústria de óleo e gás. Temos a ambição de ser emissão zero de carbono, mas reconhecemos que diversos segmentos, clientes e parceiros têm o mesmo objetivo. Olhar por meio dos parceiros, trabalhar com eles é muito importante, porque os desafios da transição energética são muito grandes — pontua.

O formato on-line, por conta da pandemia, e o fato de ser aberto e gratuito a todos os públicos se encaixam no mesmo sentido de ampliar olhares e incluir mais gente na conversa.

— Temos a possibilidade de chamar mais gente para o que esperamos que seja um debate muito rico para a companhia, para o setor e para o país. Quisemos partir para o não óbvio. Quando você traz a Shell com um parceiro de fora em painéis mediados por profissionais de comunicação, temos uma receita para gerar um diálogo rico e trazer debates interessantes — avalia Glauco Paiva, gerente executivo de Relações Externas da Shell Brasil.

Além do Shell Talks, a participação da Shell na Rio Oil & Gas terá outras atrações gratuitas on-line, como o “Happy Hour” e o “Happy Lunch”. O primeiro terá shows das cantoras Fernanda Abreu, Mart’nália e Sandra de Sá. Já o segundo, um espetáculo de stand-up com os atores Geraldo Magela e Jeffinho Farias.

— O formato é experimental para a Shell Brasil e global. A grade com debates e entretenimento é ambiciosa. Na medida que tudo é muito novo, ouso dizer que estamos colocando a Shell em um lugar diferente no mercado. Queremos fazer um evento com assinatura da Shell que some e multiplique as ideias da Rio Oil & Gas — salienta Glauco.

Organizador da Rio Oil & Gas, o  Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) tem uma parceria longa e frutífera com a Shell.

— Os debates dentro do IBP são muito bons. Se um integrante levanta uma ideia em uma reunião, depois do debate, o assunto sai ainda melhor. A troca de pensamentos, de sugestões é muito rica. Eu participei do comitê organizador da feira e estou muito ansioso para o evento — revela Cristiano Pinto da Costa, diretor de Ativos do Pré-sal da Shell Brasil.

Clarissa Lins, presidente do IBP, acredita que a realização da Rio Oil & Gas 2020 é resultado da resiliência e visão de longo prazo que a indústria de petróleo e gás mostrou na pandemia:

—  Toda cadeia – de forma integrada e corajosa – acreditou e desenvolveu com o IBP a primeira Rio Oil & Gas em formato 100% digital com sessões técnicas, expositores digitais, plataforma exclusiva, salas imersivas. A Shell foi uma das primeiras que apostou nesse modelo inovador e se tornou uma das principais patrocinadoras, reflexo de anos de nossa parceria e colaboração.

Flávio Rodrigues, diretor de Relações Governamentais e Assuntos Regulatórios da Shell Brasil, ressalta a contribuição que os  debates da “Rio Oil & Gas” e do Shell Talks vão dar para o país superar o difícil ano de 2020.

— É uma ótima oportunidade pare refletir sobre o setor, entender o momento, os desafios que teremos pela frente e até pensar em ações em relação a políticas públicas. O efeito da pandemia sobre a queda de consumo, o preço de barril, tudo isso se materializa na dimensão do Brasil, de como vamos criar uma agenda de rodada de licitações para os próximos anos— conclui.

Todas as informações do Shell Talks em shell.com.br/rog.

Fonte: https://oglobo.globo.com/economia/on-line-gratuito-shell-talks-reune-liderancas-para-falar-do-futuro-24772349?fbclid=IwAR2Kldq_c35yiQcK8m9oUkJ0micog5SPbvhXknXR9w2k6ctbocFW9yHaMdE

Deixe uma resposta