Hospital Unimed Bauru realiza tratamento de aneurisma cerebral com nova técnica de reconstrução arterial

0
352
Equipe responsável pelo procedimento (da esq. para a direita): Suzana Venâncio, Silvania Giraldi, Dr Daniel Abud, Janny Mary, Dr Luis Henrique de Castro Afonso, Marlei dos Santos, Amanda Afonso e Andreia Silvestrini

Foi realizada, no último dia 13 de agosto, no Hospital Unimed Bauru (HUB), o tratamento de um aneurisma cerebral utilizando o mais recente conceito de reconstrução da artéria portadora do aneurisma. O responsável pelo procedimento foi o neurologista Luís Henrique de Castro Afonso e contou com a presença do médico Daniel Giansante Abud, coordenador do serviço de Neurorradiologia e Radiologia Intervencionista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Riberão Preto/USP.
Diferentemente de cirurgias prévias, que estancavam apenas o aneurisma, com esta nova técnica o alvo é o tratamento da artéria de onde o aneurisma surgiu. “Esta modalidade terapêutica é atualmente o estado da arte no tratamento dos aneurismas cerebrais por ter uma alta eficácia na cura completa dos aneurismas e um baixo risco”, explica Afonso.
Com o paciente anestesiado, foi passado um cateter pela artéria radial (no punho direito), que alcançou a circulação cerebral. Isso permitiu a colocação de um neurostent na artéria portadora do aneurisma, pra auxiliar no remodelamento e na cicatrização progressivos da artéria, levando à obliteração definitiva do aneurisma. “A alta eficácia e baixo risco da técnica estão fundamentados em 3 princípios que foram aplicados: o cateterismo pela artéria radial (do punho) e não pela virilha, o uso de neurostents redirecionadores de fluxo de última geração, e o uso de novos medicamentos antiplaquetários”, destacou o médico.
De acordo com ele, a cirurgia foi considerada um sucesso. “A cirurgia durou cerca de 30 minutos e a paciente teve uma excelente recuperação, com alta em 24 horas, e com apenas um curativo no punho”, explicou.


O tratamento por técnica endovascular é realizado em diversos países do mundo e encontra-se em constante evolução e aprimoramento. Os recentes avanços da ciência permitem hoje que os aneurismas complexos sejam tratados e que os desafiadores que ofereciam riscos relativamente altos – ou mesmo não poderiam ser curados – agora podem ser tratados com grande sucesso de possibilidade de cura. “A aplicação destes novos conceitos de tratamento dos aneurismas cerebrais ainda é aplicada por poucos centros no mundo e o Hospital Unimed Bauru faz parte deste seleto clube”, explicou o médico.

Deixe uma resposta