Em seis anos, Bauru tem melhor saldo de emprego no 1.º semestre

0
1413
Homenagem Corecon, na foto Reinaldo Cafeo, Manuel Enriquez Garcia, Afonso Arthur Neves Baptista. 21/10/2015 Reinaldo Cafeo 21/10/2015

Bauru fechou o primeiro semestre de 2018 com aumento do número de empregos com carteira assinada. De janeiro a junho deste ano, foram criadas 3.084 novas vagas de trabalho, o melhor saldo dos últimos seis anos, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho.

O último ano em que a cidade registrou desempenho semelhante foi 2012, quando foram gerados 3.194 postos de trabalho no primeiro semestre. O resultado de 2018 indica que, mesmo em ritmo lento, a economia da cidade caminha para recuperar os 8.255 empregos formais perdidos nos últimos três anos devido à crise no País.

Os dados nacionais, inclusive, também demonstram esta retomada. No Brasil, foram 392 mil novos postos de trabalho criados entre janeiro e junho, sendo 141 mil somente no Estado de São Paulo.

“Bauru acompanha a variação positiva verificada no País, mas o volume ainda está aquém da real necessidade”, frisa o economista Reinaldo Cafeo, salientando que o desemprego ainda atinge 13 milhões de trabalhadores brasileiros.

Em Bauru, os setores que mais geraram empregos no primeiro semestre deste ano foram o de serviços, com 2.308 novos postos de trabalho, e construção civil, com 1.006 vagas. “Os serviços de saúde, por exemplo, vão bem na cidade. Já a construção civil começou a ter um ânimo a partir da virada do ano e a perspectiva é de que cresça em mais de 5%. Há crédito no banco, mas, por enquanto, não há demanda. As pessoas ainda não estão assumindo compromisso de longo prazo e, ao longo do tempo, o setor deve ajustar a mão de obra em relação ao volume de vendas”, pondera.

JUNHO

Com o fechamento do primeiro semestre de 2018, um dado preocupante foi o desempenho de junho, que, em Bauru e no País, foi o primeiro mês com saldo negativo, após cinco meses de crescimento do nível de emprego. Segundo Cafeo, o resultado, em âmbito nacional, está diretamente relacionado à paralisação dos caminhoneiros, que começou em 21 de maio e durou 11 dias, com bloqueios nas estradas que causaram desabastecimento e queda na produção de todo o País.

“Certamente, isso trouxe um problema de caixa para muitas empresas”, aponta. Em Bauru, os dois setores que tiveram os piores resultados no mês passado são justamente o de construção civil (158 vagas extintas) e serviços (fechamento de 119 vagas).

Se o primeiro ajustou sua mão de obra em razão da baixa demanda, o segundo foi afetado, informa o economista, pela redução do quadro de funcionários no segmento de recuperação de crédito. “E este é um setor importante para a cidade, que deve empregar mais de 12 mil pessoas. Mas, com o aumento da inadimplência, em situações pontuais, o apetite do setor cai e acaba mexendo com o mercado como um todo”, detalha.

Cafeo não acredita que o resultado ruim de junho seja uma tendência para o segundo semestre, mas também não projeta saldos de emprego muito elevados até o fim deste ano, até porque o crescimento da economia em 2018 está no patamar de 1,5% na comparação com o ano passado. “A toada será parecida com o que observamos neste primeiro semestre”, acrescenta.

Fila por emprego 

Douglas Reis
Fila em Busca de um Emprego em Bauru

Uma fila de cerca de 2,4 mil pessoas se formou na avenida Moussa Nakhl Tobias, na manhã dessa segunda-feira (23), em Bauru. Todas elas estavam em busca de uma oportunidade de emprego na nova unidade que a rede supermercadista Tauste irá abrir na cidade. Ao todo, foram disponibilizadas 500 vagas em 21 funções para candidatos com e sem experiência. O processo de seleção começou às 8h dessa segunda na Faculdade Anhanguera, mas muitos trabalhadores passaram a noite no local, aguardando a abertura dos portões. As 2,4 mil pessoas que estavam na fila receberam senhas e 130 delas já foram entrevistadas no mesmo dia. Agendamentos foram realizados para 1,9 mil candidatos, que continuarão sendo entrevistados ao longo desta e das próximas semanas. O restante deverá retornar hoje, com a senha em mãos, para fazer o agendamento.

Novos interessados nas vagas poderão ir ao local até sexta-feira, sempre entre 8h e 17h, para as inscrições. A empresa salienta que não há necessidade de chegar antes do horário de abertura dos portões. A Faculdade Anhanguera fica na avenida Moussa Nakhl Tobias, 3-33, Parque São Geraldo. O candidato deve levar carteira de trabalho e RG.

Fonte: https://www.jcnet.com.br/Economia/2018/07/em-seis-anos-bauru-tem-melhor-saldo-de-emprego-no-1o-semestre.html

Deixe uma resposta