Beneficência Portuguesa completa 93 anos investindo em seu crescimento

0
397

O Hospital Beneficência Portuguesa de Bauru completa, nesse dia 10 de junho, 93 anos de existência. Quase centenária, a instituição comemora nessa data sua solidez, revitalização e força diante de um cenário complexo de pandemia. “Essa é uma data muito importante para todos nós, que estamos engajados em fazer da Beneficência um hospital cada vez melhor para nossos pacientes, funcionários e médicos. Estamos investindo e criando oportunidades, crescendo e apostando em treinamentos e humanização. Temos orgulho do que a Beneficência é hoje para Bauru e região”, salienta o diretor superintendente da Compliance (gestora do hospital), o médico Enidélcio de Jesus Sartori.
Neste último ano, a Beneficência ganhou novos serviços e reformulou sua estrutura para atender as necessidades dos seus usuários. Em setembro de 2020, por exemplo, foi inaugurado o seu novo Laboratório de Análises Clínicas. A mudança teve como objetivo agilizar os exames e oferecer mais comodidade para os usuários. “O Hospital Beneficência Portuguesa de Bauru sempre prestou relevantes serviços à comunidade e, como toda empresa, precisa focar cada vez mais na melhoria e na atualização do seu processo de atendimento”, lembra Sartori.
Já em fevereiro deste ano, foi a vez da inauguração do setor de Hemodinâmica. A nova ala agregou à instituição alta tecnologia e um atendimento de qualidade nas demandas de urgência e emergência cardíaca e vascular.
O Hospital também ampliou seu atendimento, inovando ao trazer à comunidade a ala de internação psiquiátrica, em um modelo totalmente remodelado e dentro dos novos protocolos da área. São 10 leitos preparados para emergências psiquiátricas derivadas de problemas com álcool e drogas, surtos psicóticos, desestabilizações referentes a transtorno bipolar, depressão grave que leve à ideação suicida, entre outras coisas. Além disso, o setor conta com uma equipe multidisciplinar, com enfermeiros especializados em psiquiatria, terapeuta ocupacional, psicólogos, fisioterapeutas e assistente social.
Novas demandas
Além de planejar seu crescimento, nesse último ano a Beneficência precisou voltar seus esforços e expertise para investir na enfermaria e UTI para atendimento à Covid-19. São 15 meses de dedicação intensa ao tratamento de uma nova doença, que tem demandado cuidados redobrados, acompanhamento criterioso, treinamento de equipes e leitos equipados para atender da melhor maneira os pacientes.
“Temos buscado conhecimento constantemente, estrutura e agilidade para oferecer aos nossos clientes a segurança que eles precisam para superar esse momento de pandemia. Tenho muito orgulho de toda a nossa equipe, que não mede esforços para alcançar esse objetivo”, destaca o diretor superintendente da Beneficência.
Com 120 leitos e cerca de 500 funcionários, o Hospital é uma das principais referências em saúde na região. Atende em diversas áreas da medicina, com suporte completo composto por consultórios, centro cirúrgico, UTI, pronto-atendimento, hemodinâmica e laboratório de análises clínicas.
Conheça a história da Beneficência
O Hospital Beneficência Portuguesa de Bauru começou a ser planejado no início do século XX, com a instituição da Sociedade Beneficente Portuguesa. A época também era difícil para a saúde pública, com epidemia de malária em Bauru.
Em 1914 foi fundada a primeira Sociedade Beneficente Portuguesa de Bauru, que funcionava em uma pequena casa à Rua Virgílio Malta. Após comprar um terreno na região dos Altos da Cidade, o grupo deu início ao projeto do tão sonhado hospital. A pedra fundamental da obra foi lançada em 12 de outubro de 1925 e, quase três anos depois, no dia 10 de junho de 1928, o empreendimento foi inaugurado com o nome de Hospital São José da Beneficência Portuguesa.
Neste dia também é comemorado o Dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas, além de ser aniversário de morte do escritor Luís Vaz de Camões, considerado o principal nome da literatura em língua portuguesa na história. Autor do poema épico “Os Lusíadas”, contando a saga de Portugal nas grandes navegações nos séculos 15 e 16, Camões morreu em 10 de junho de 1580.

Foto: Enidélcio Sartori, superintendente da Beneficência

Deixe uma resposta